Visando um melhor posicionamento no mercado de impressão, a HP oficializou a compra da divisão de impressão da Samsung por U$ 1 Bilhão de dólares, conforme publicação da BBC hoje. Com mais de 6 mil patentes registradas, tecnologia ímpar, grande market share mundial e um invejável faturamento de U$ 1.4 Bilhão, não cabe dúvida que a HP fez uma decisão muito bem calculada ao comprar a Samsung.

HP – MAIS FORTE QUE NUNCA

A HP vem surpreendendo e o CEO Dion Weisler mostrou que não está preso a paradigmas corporativos, muito menos a conservadorismo. Há menos de um ano atrás, a HP já havia surpreendido o mercado com a divisão da área de hardware e de software em duas empresas diferentes. Ainda esse mês, a empresa inglesa Micro Focus comprou a divisão de software da HP por U$ 8.8 Bilhões, surpreendendo novamente.

HERANÇA VALIOSA DA CONCORRENTE

A HP vai receber 6.000 novos funcionários da Samsung uma vez que seja finalizado o processo de compra pela HP. Desses 6 mil funcionários, 2.000 são engenheiros área de pesquisa e desenvolvimento, um ativo que certamente ajudará muito a HP a manter-se na ponta no que se refere a novos produtos. A Samsung vinha buscando uma vanguarda no lançamento de softwares embarcados, bem como de hardware, como foi o caso do lançamento da MFPs com tablete embutidos. Unindo a genialidade da HP e da Samsung, é difícil imaginar as maravilhas que virão nos próximos anos no segmento de impressão.

HP INVADE A ÁSIA…

A HP já tem presença na Ásia, não só com equipamentos para impressão, mas com notebooks, celulares e outros equipamentos. Obviamente, a HP busca uma maior penetração no mercado de copiadoras e MFPs na Ásia, pois é um dos poucos mercados mundiais que continuam a crescer em número de equipamentos e volume de impressão. A China, com um PIB de 7% ao ano e uma população 1.4 Bilhões, tem um mercado espetacular e que ainda está em ascendência, diferente da Europa e EUA.

E O MERCADO BRASILEIRO DE IMPRESSÃO

Daniel Mazzeu, diretor comercial da DMZ Connection, comenta sobre a aquisição da Samsung: “Os mercados estão se consolidando e grandes mudanças irão continuar ocorrendo. Primeiro tivemos a compra da Lexmark por um grupo chinês que inclui um fabricante de compatíveis de toner, a Ninestar.” A Ninestar e a Lenovo, parte do grupo, certamente buscarão ampliar seus mercados no ocidente através da Lexmark, principalmente no mercado americano. Da mesma forma, a HP buscará expandir seus negócios na Ásia, lembrando que 40% da população mundial está na China e India. Mazzeu acrescenta: “Os terremotos corporativos não irão cessar e é importante ter flexibilidade e visão nesses momentos. Precisamos nos perguntar: Qual o melhor parceiro?! Dá para trabalhar com um só fabricante?! O que ocorrerá com a gigante Samsung-Simpress, continuará voraz na compra de mercado? Embora a compra da divisão de impressão da Samsung torne a HP uma gigante, haverá sempre espaço para outros fabricantes. Nesse período de transição em que as “camadas tectônicas” estão se ajustando, há sempre grandes lacunas que se formam no mercado e apresentam oportunidades para ganhar market share e margem, seja pelas revendas ou pelos fabricantes.”

Whatsapp DMZ Whatsapp DMZ